imagem nave

Innterpretti

Adquira novos conhecimentos ou revise aqueles que você já assimilou sobre AGRICULTURA e PECUÁRIA EFICAZ

[# 24] Aedes aegypti na agricultura e pecuária: Se você pensava como eu sugiro que também mude a sua atitude

Aedes aegypti na agricultura e pecuária

Texto 24 por Ronaldo Setti  em: Aedes aegypti.

 

 

Você sabia que, por causa do Aedes aegypti, em certas ocasiões as estatísticas baseadas em números do Ministério da Saúde já chegaram a indicar um aumento bem próximo de 50% no registro de casos prováveis de dengue em todo o país?

 

 

Inicialmente eu não estava nem aí para este tipo de notícia.

 

Achava que tinha outros afazeres mais importantes para me preocupar.

 

No entanto…

 

Algo mudou…

 

Fiquei sabendo de três casos bem graves de dengue.

 

E sabe qual foi o agravante?

 

Esses três casos de dengue ocorreram bem próximo de onde eu moro.

 

É como diz o ditado popular: “Aconteceram bem no meu nariz”.

 

Resumindo…

 

Fiquei espantado com a gravidade dos três casos.

 

E sabe o que aconteceu?

 

Percebi duas situações:

 

Primeiro percebi que aqueles que acham que estão fora do alcance do mosquito Aedes aegypti são pessoas que ainda não atentaram para os números divulgados pelo Ministério da Saúde… Eu era uma dessas pessoas.

 

Depois…

 

Percebi que muitas pessoas ainda não atentaram para a gravidade do risco que estão correndo.

 

Eu percebi o grande risco… Risco de perder a vida, inclusive!

 

Ou seja…

 

É preciso fazer algo imediato.

 

É preciso fazer algo para ao menos minimizar o risco da possibilidade de problemas que, em alguns casos, podem ser irreparáveis.

 

 

 

PROTEJA A SUA ATIVIDADE AGROPECUÁRIA E A VIDA DE QUEM NELA PARTICIPA

 

 

Como explicitei no título deste texto, eu era uma dessas pessoas que não me interessava por conhecer tais números divulgados pelo Ministério da Saúde.

 

O agravante é que também eu não atentava para o risco que estava correndo.

 

Ou quem sabe, ainda estou correndo.

 

Pensava assim:

 

Já tem tanta notícia negativa, para que dar atenção para mais uma?

 

Mas o fato é o seguinte:

 

No momento em que escrevo este texto o Ministério da Saúde já divulgou o registro de mais de 65 mil notificações de casos prováveis de dengue em todo o país.

 

Com base em divulgações do Hospital Israelita Albert Einstein chegam a ser registrados mais de 150 mil possíveis casos de dengue por ano no Brasil.

 

Tá bom Ronaldo…

 

Eu entendi a importância desses números estatísticos.

 

Mas e daí?

 

O que isso tem a ver com a agricultura e pecuária?

 

A resposta é simples e direta.

 

Tem muito a ver.

 

Isso tem tudo a ver com a atividade agropecuária!

 

Sabe por quê?

 

Porque o mosquito Aedes aegypti pode estar em todo lugar.

 

Pode estar inclusive aí na sua propriedade rural.

 

Ou então…

 

Na propriedade rural em que você trabalha, passeia, assessora, visita, etc…

 

E tem mais…

 

A preocupação não é só com a “dengue”.

 

O mosquito Aedes aegypti também pode transmitir “zika vírus” e “chikungunya”.

 

Aedes aegypti

 

 

Chegam próximo de 04 mil os casos com possibilidade de microcefalia, devido à infecção de mães pelo “zika vírus”.

 

Ou seja…

 

É de fundamental importância que todos nós fiquemos atentos para a necessidade de estabelecer um sistema preventivo e rigoroso de combate ao mosquito Aedes aegypti.

 

 

Para estar protegido é preciso que exista conscientização.

 

 

Conscientização sobre a necessidade de comunicação, treinamento, monitoramento e intervenção específica para cada caso específico no ambiente de produção agropecuária.

 

Vale lembrar que o Aedes aegypti é um mosquito doméstico e, portanto, pode estar bem perto de nós.

 

O mosquito Aedes aegypti pode estar dentro da nossa casa, nos galpões e demais benfeitorias nas propriedades rurais.

 

Logo abaixo escrevi algumas sugestões úteis de como nós podemos nos proteger, mas antes me permita evidenciar um fato interessante:

 

Ao contrário do que muitos imaginam, não é só o acúmulo de água suja que deve gerar preocupação.

 

A reprodução do Aedes aegypti acontece em água limpa e parada.

 

Por isso é que existe a necessidade de cuidados rigorosos.

 

Por isso é que existe inclusive a preocupação com a água potável armazenada em “caixas d’água”.

 

Percebeu o detalhe?

 

Tudo pode estar limpo e organizado.

 

Pode até haver muito capricho e, mesmo assim, existir o risco da presença do Aedes aegypti.

 

 

VOCÊ CONSEGUE VISUALIZAR A GRAVIDADE DA SITUAÇÃO?

 

 

É por estes e outros motivos que devemos trabalhar juntos para eliminar todas as possibilidades de focos desse perigoso mosquito.

 

Contudo…

 

Nesse contexto de trabalharmos juntos existe uma observação muito importante:

 

Existem inúmeras campanhas alertando sobre a importância da eliminação dos pontos de possíveis focos do mosquito da dengue… Certo?

 

Também existem cartilhas e panfletos que são distribuídos para a população, orientando sobre os procedimentos adequados para combater o mosquito da dengue, o Aedes aegypti.

 

Você já recebeu algum desses panfletos?

 

Ok…! Também já recebi.

 

Mas a observação é a seguinte:

 

Somos orientados a seguir e a praticar as recomendações das propagandas, panfletos, cartilhas e tudo o mais.

 

Porém…

 

Geralmente não somos orientados, ou então, não nos lembramos de um importante detalhe:

 

Se vamos eliminar um possível foco de um mosquito que é perigoso, então, precisamos estar devidamente protegidos.

 

Concorda com isso?

 

Muito bem!

 

Então a ideia é a seguinte:

 

Proteja-se com calça, camisa de manga comprida, boné, luva e preferencialmente com alguma “tela mosquiteiro” que ofereça proteção para toda a cabeça.

 

Proteja o rosto, as orelhas e o pescoço.

 

Tenha sempre a consciência de que a ausência desse pequeno cuidado pode pôr tudo a perder.

 

Se você é consultor agropecuário ou outro profissional de agrárias, não esqueça de repassar estas informações para os produtores rurais que você conhece.

 

Para a maioria isso é fácil de entender.

 

Pouco resolve sairmos para eliminar um possível foco do mosquito e, por falta de proteção, voltarmos contaminados com a doença ou com o zika vírus, por causa de uma picada do mosquito. 

 

Sendo assim…

 

Fique atento com esse importante detalhe de se proteger adequadamente dos pés até a cabeça.

 

Acontecem mutirões em que, em ato nobre, voluntariamente as pessoas saem para fazer uma varredura de eliminação de possíveis focos do mosquito.

 

No entanto…

 

Infelizmente…

 

Ainda ocorre que as pessoas cheias de boa intenção e empolgadíssimas para colaborar, vão eliminar os focos do mosquito Aedes aegypti, totalmente desprotegidas.

 

Vão para o campo de batalha sem proteção nos braços, pernas e cabeça.

 

Sem atentar para o perigo, as pessoas saem honrosamente, sozinhas ou em mutirão, vestindo apenas camiseta de manga curta, bermuda e, quando muito, um boné ou chapéu e óculos escuros.

 

Existem casos em que as pessoas saem nesse combate usando camiseta sem manga.

 

Se no Google digitarmos a frase: “Imagens de mutirão do combate à dengue” certamente vamos encontrar imagens que mostram pessoas desprotegidas correndo o sério risco de serem contaminadas. 

 

Atenção…!

 

O que foi indicado e comentado acima não é uma crítica… É um ALERTA!

 

 

Se proteger adequadamente antes de combater o Aedes aegypti é, sem dúvida, a primeira boa ação que você pode fazer.

 

 

Então…

 

Não se esqueça…

 

Nas mobilizações contra o mosquito Aedes aegypti sempre se proteja adequadamente.

 

Tudo certo até aqui?

 

Então…

 

 

VAMOS MANTER A ATENÇÃO NO AMBIENTE DE PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA.

 

 

De certa forma tudo é muito básico e semelhante para os diferentes ambientes.

 

Seja nas cidades, nos bairros, nas periferias ou no meio rural, mas mesmo assim vale a pena revisar os processos.

 

A principal pergunta é:

 

Por onde devo começar?

 

E a resposta mais simples é:

 

Você pode começar reduzindo o acúmulo de lixo na propriedade rural, para evitar o surgimento de criadouros do Aedes aegypti e também de outros mosquitos.

 

Lembre-se…

 

Faça isso estando devidamente protegido: Com calça, camisa de manga comprida e tudo o mais.

 

Vale a pena dar uma caminhada pela propriedade recolhendo ou eliminado todas as embalagens vazias que possam ser pontos de acúmulo de água.

 

Aaah…

 

Aqui tem uma boa sugestão que torna inteligente a condução do seu agronegócio!

 

Sabe qual é a grande estratégia?

 

Durante as caminhadas pela propriedade rural sempre aproveite para observar e anotar todos os pontos ou locais de possível acúmulo de água e proliferação de larvas.

 

Esses pontos anotados devem ser monitorados constantemente.

 

Sabe por quê?

 

Porque esse tipo de anotação passa a ser um “checklist” para a adoção de medidas preventivas contra o Aedes aegypti.

 

Portanto…

 

Lembre-se de registrar tudo.

 

 

FAÇA UM “CHECKLIST” ROBUSTO

 

 

Exercite o raciocínio e pense nos mínimos detalhes.

 

Pense inclusive em orientar a todos sobre a importância de sempre manter abaixada a tampa do vaso sanitário, quando o vaso não estiver em uso.

 

A ausência desse simples cuidado específico pode contribuir para que o vaso sanitário possa ser um grande gerador de risco na sua propriedade rural.

 

Pode parecer estranho e insignificante, mas na atividade agropecuária (e na nossa residência também!) esse tipo de cuidado simples deve realmente fazer parte do processo.

 

Neste sentido…

 

Todos os cuidados e observações devem fazer parte de um mapa de rastreamento.

 

 

É ISSO MESMO! GERE UM MAPA DE RASTREAMENTO

 

 

É importante que todos os envolvidos com a atividade agropecuária recebam mensagens e avisos de conscientização e prevenção por meio de ações periódicas de comunicação interna da propriedade rural.

 

É importante a conscientização de recolher e destinar corretamente todos os materiais orgânicos existentes na propriedade rural.

 

Dê uma atenção especial para aqueles materiais orgânicos que estão em desuso ou acumulados de maneira inapropriada ou expostos ao tempo.

 

Vale inclusive considerar a possibilidade de estabelecer um calendário para ações de combate químico e/ou biológico.

 

Neste contexto do combate químico e/ou biológico vale indicar que a Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia em parceria com o Instituto Matogrossense do Algodão (IMA), desenvolveram um produto muito eficaz,“capaz de matar as larvas do mosquito Aedes aegypti – transmissor de dengue, febre Chikungunya e Zika – sem prejudicar a saúde das pessoas e dos animais domésticos…”

 

“Trata-se de um líquido que pode ser adicionado em qualquer lugar que acumule água ou tenha potencial para ser um criatório do Aedes aegypti”.

 

Esse produto é o Inova-Bti.

 

Entenda que na atividade agropecuária as ações preventivas são muito importantes para contornar fatores imprevisíveis.

 

O clima, por exemplo, é um fator imprevisível na atividade agropecuária.

 

Ou seja…

 

Com a ausência de ações preventivas a ocorrência de chuvas pode se tornar um agravante.

 

Quer uma sugestão?

 

Antecipe-se e organize tudo.

 

 

Organize o ambiente externo e interno de todos os pontos da propriedade rural.

 

 

Incentive para que todas as pessoas se sintam confiantes e à vontade para comunicar qualquer ocorrência ou suspeita relacionada a possíveis focos de criatórios do mosquito Aedes aegypti.

 

Aaaah…

 

E tem um ponto muito importante:

 

Sempre que alguém comunicar alguma ocorrência ou suspeita…

 

Ou então…

 

Sempre que alguém sugerir algo conveniente… Tome alguma ação imediata.

 

Caso contrário…

 

Sabe o que vai acontecer?

 

A ausência de alguma ação imediata vai gerar desmotivação.

 

E, nesse caso, em um ambiente com pessoas desmotivadas o processo simplesmente não funciona.

 

Com pessoas desmotivadas todo processo cai naquela velha rotina: Fiz uma vez… Ninguém deu atenção… Agora não faço mais.

 

É importante que esta motivação seja abrangente.

 

É importante que esta motivação atinja inclusive pessoas de propriedades vizinhas.

 

A verdade é o seguinte:

 

Alguns fatos parecem estar muito distantes ou fora da nossa realidade…

 

Mas isso só é verdade até os fatos baterem no nosso peito.

 

Só é verdade até os fatos baterem em nossa porta.

 

Só é verdade até que alguém esfregue os fatos em nosso nariz.

 

Foi o que aconteceu comigo.

 

Precisei “ver pra crer”.

 

Bom…

 

Quanto aos sintomas…

 

No caso do Aedes aegypti os primeiros efeitos podem ser calafrios, frieza e febre.

 

Porém…

 

Preste atenção, pois não existe uma sequência fixa de sintomas iguais para todas as situações.

 

Fique atento!

 

Não exite em procurar um médico!

 

Em alguns casos podem surgir dores no corpo, náuseas, dor de cabeça e tonturas.

 

 

O fato é que esse mosquito “Aedes aegypti” é muito perigoso.

 

 

Quanto ao período de incubação do vírus é, em média, em torno de 05 a 07 dias.

 

No caso do ““zika vírus” os sintomas podem ser um pouco diferentes.

 

O “zika vírus” pode causar dor no fundo dos olhos, pintas vermelhas, dores e inchaço nas articulações.

 

Reforçando…

 

Não exite…!

 

Sempre procure um médico ou posto de saúde mais próximo. 

 

Bom…

 

Eu mudei o meu ponto de vista.

 

E as sugestões para mudança são relativamente simples:

 

 

DICAS: COMO SE PROTEGER DO “Aedes aegypti” NA AGRICULTURA e PECUÁRIA

 

 

– Mantenha bem tampados todos os recipientes que armazenam água: Tonéis, potes, garrafas, barris e tudo o mais que houver na propriedade rural.

 

 – Lave por dentro e por fora e com escova e sabão apropriado, todos os tanques utilizados para armazenar água ou para fornecer água aos animais. Se possível faça isso toda semana.

 

– Mantenha as caixas d’água sempre bem limpas e fechadas.

 

– Não se esqueça de limpar externa e internamente o “cano ladrão” da caixa d’água. Depois de bem limpo proteja a “boca do cano ladrão” com uma “tela mosquiteiro”, apropriada.

 

– Remova tudo que possa impedir a livre e total passagem de água pelas calhas e outros escorredores.

 

– Tenha total atenção e redobre a vigilância para o acúmulo de água em pisos, canaletas e outros pontos dentro e próximos da sala de ordenha e outras benfeitorias.

 

– Evite que a água fique acumulada sobre pisos, lajes, calçadas e outras superfícies.

 

– Preste bastante atenção e não deixe acumular água no prato de vasos com plantas. Lave esses pratos toda semana.

 

– Se for o caso, preste atenção na manutenção e limpeza de aquários e vasos com plantas aquáticas.

 

– Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha os sacos e a lixeira bem tampados.

 

– Limpe periodicamente todas as lixeiras e não deixe acumular excesso de lixo por períodos além de algumas horas.

 

– Pode ser óbvio, mas não deixe o lixo ao alcance dos animais.

 

– Mantenha todo tipo de recipiente vazio e sem tampa com a boca virada para baixo, para evitar o acumulo de água dentro do recipiente.

 

– Pneus, sacos, lonas e outros utensílios e equipamentos devem ser mantidos limpos e guardados em local coberto, seco e livre de chuvas.

 

– Quando for o caso, preste atenção e realize a manutenção da piscina ou fontes e cascatas decorativas. Utilize sempre produtos adequados.

 

– De alguma maneira proteja todos os ralos existentes na propriedade. Proteja os ralos do interior e do exterior das benfeitorias.

 

– Limpe sempre o ar-condicionado ou outro equipamento de ventilação, exaustão, secagem ou outro equipamento que possa gerar o acúmulo de água nas bandejas ou partes de proteção.

 

– Tudo que estiver coberto com lona, a lona deve ser muito bem esticada, para evitar a formação de poças de água.

 

Nossa…!

 

São muitas as possibilidades.

 

 

O meio de produção agropecuária é cheio de pontos com possibilidades favoráveis para focos do mosquito Aedes aegypti.

 

Contudo…

 

Acredito que o “pouco” que foi escrito aqui seja suficiente.

 

Suficiente para que cada um de nós se empenhe ao máximo para identificar, corrigir e/ou eliminar cada possível ponto favorável para o estabelecimento de criatórios do mosquito Aedes aegypti.

 

Essa atitude é importante para cada um de nós.

 

É também importante para todas as propriedades e atividades rurais.

 

É importante independente de a atividade ou a propriedade rural ser de pequeno, médio ou grande porte.

 

É importante independente de a atividade ser agricultura, pecuária, floresta ou a integração de tudo isso.

 

É importante independente de você ser produtor, consultor, trabalhador, estudante…

 

E, lembre-se do mais importante:

 

Lembre-se de divulgar as orientações para os vizinhos e colegas envolvidos com a atividade agropecuária.

 

Aedes aegypti na agricultura e pecuária

 

Todos nós podemos nos beneficiar com essa atitude contra o Aedes aegypti.

 

Tudo de bom para você, sua família e sua atividade agropecuária!

 

Grande abraço!

Faça diferente e melhor.

 

 

 

Ronaldo Setti - Voluntário "Ad Hoc" Innterpretti

Meu nome é  Ronaldo Setti  e eu realmente desejo que você consiga fortalecer a certeza dos seus ideais e a confiança de que está conduzindo da melhor maneira possível a sua atividade pessoal e profissional.

 

 

 

 

 

Relatório técnico_Análise de solo agrícola

 

 

Atividade agropecuária

 

Página inicial ››  Detalhes ››  Preço ››  Blog ››  Baixar livro PDF ›› Quero saber das novidades


Voltar e ver novos títulos.